Menu

Ser mãe de prematuro por Jazmín Dalessandro.

Oi gente, hoje eu não vim falar sobre mim e sim sobre a Jazmín que é Mãe adolescente mais passou por muita coisa difícil, superou e é a prova viva de que idade não define maturidade muito menos ser Mãe! Eu pedi para que ela me mandasse uma resuminho da história dela, vamos conferir? "Toda a história foi feita pela mesma, leia como se fosse ELA falando."



Ser mãe já não e fácil.. Ser mãe de prematuro, menos ainda. 

Não fui "mãe de uti" mais nada foi fácil! Desde que soube que estava gravida, fiz meu pré natal direitinho, me cuidei e sempre fazia tudo pensando no bem do meu filho, Enzo. Quando estava de 32 semanas viajei para a Bahia, onde mora o pai dele.


Tudo estava indo muito bem, até uma sexta onde comecei a sentir cólica, e fui para o hospital... O medico me disse que não era nada, pra eu ficar de repouso que iria passar. Mas nada passou, ao contrario, sentia essas "cólicas" de 5 em 5 minutos, e assim foi a madrugada toda... 

No sábado de manha cedo, já sem aguentar e sem saber o que era, fui ao hospital de novo.. E o medico me disse que eu estava em trabalho de parto prematuro. Estava com 5cm de dilatação! Em segundos, vieram milhões de coisas na cabeça.. Por que isso? O que eu fiz de errado? Será que meu bebe está bem? E agora? Faltava 1 mês e meio ainda. Não era aqui pra ele nascer... Não tinha nada dele comigo, afinal.. eu estava em outra cidade!

 Tive que ficar no hospital, avisei ao meu namorado e liguei pra minha mãe que no mesmo dia saiu voando do Rio de Janeiro para a Bahia. Fiquei internada 4 dias, tomando mil coisas na veia, tentando segurar meu pequeno. Sofrendo, ansiosa, sem saber o que iria acontecer. 
Me falaram que isso estava acontecendo por uma infecção urinária, que iriam tratar dela e seguir tentando segurar o bebe. Mas não teve jeito, tentaram por 3 dias e meio, e no dia 28 se Janeiro o Enzo resolveu nascer. 


 Foi aquele medo misturado a felicidade... Até então o Enzo não tinha o peso adequado pra sair do hospital após as 24 hrs, então já me preparava pra ficar por lá mesmo... Mas para a surpresa de todos, o pequeno Enzo nasceu com um pouco mais de 2kg! Era tão pequeno! Tudo ficava gigante nele, fralda, roupa.. Dava medo de pegar. Mesmo assim ficamos 3 dias, por ter que fazer vários exames e ter a certeza de que estava tudo bem. Não foi fácil, nem é. Os cuidados, são em dobro e fora ter que aguentar as pessoas dizendo que ele é menor que um bebe de quatro meses.. Ai vou eu explicar o porque! rs. 


Hoje com 4 meses ele é um bebe mais que saudável! 
Amado, feliz, e muito esperto.



Relarto do parto

"Esteja aqui ás 7:00hrs da manhã em jejum do dia 29/Agosto" disse o meu médico.
Lá estava eu ás 5:00 hrs da manhã acordada na cama, me virava pra um lado e pra outro sem conseguir dormi. ERA HOJE, hoje que eu ia conhecer o verdadeiro amor da minha vida, era hoje que eu ia poder vê o rostinho de quem tanto chutou minhas costelas (rs), era hoje que eu ia saber o verdadeiro significado do que é AMOR.

Levantei da cama, não ia conseguir dormi mesmo, tanta gente mandando mensagem pra mim me desejando uma boa hora, me deixava ainda mais nervosa. Eu tinha medo de que acontecesse algo errado, que eu morresse ou roubassem o Ícaro na maternidade.
Liguei o computador, não tinha ninguém online pra me socorrer hahaha, deixei uma postagem lá dizendo o quanto estava nervosa. Tomei um banho, me maquiei (não ia parir feia, logico), ajeitei minhas coisas na bolsa (a do bebê já estava pronta), e #partiu #maternidade (rs).


Meu ultimo dia grávida

Cheguei la exatamente as 7 como marcado, passei algumas horas na recepçao esperando a Mãe que estava no meu quarto receber alta.
Antes mesmo de me levar ao quarto me chamaram para a sala de cirurgia "mas ja? Nao tinha nenhuma preparação antes?
Fui pra sala de cirúgia ás 9:30  super nervosa, a psicologa conversando comigo perguntando ate se eu gostava de macarrão pra tirar minha atenção da anestesia. É não foi tão ruim assim, não doeu muito!
Me deitei, já não sentia minha pernas, rezei, eles amarram meus dois braços na cama pra que eu não me mexesse, já estava em pânico, mas cade minha mãe que ia entrar comigo? "EU QUERO MINHA MÃAAAAAE". Minha mãe entra na sala, ufaaaaaaa! Ela segura minha mão, e todo o procedimento estava acontecendo, eu estava nervosa, contando os minutos, de repente o anestesista se curva em cima de mim e faz pressão com as duas mãos para descolar Ícaro de cima, a cama remexia e eu estava super assustada.



Minha mãe começou a gritar do nada: Vem vovó, vem gostosinho, a gente tá te esperando" e os médicos todos rindo hahaha, e com um piscar de olhos eu escuto um chorinho, um chorinho leve, mas gostoso de se ouvir, minha mãe logo começou a falar: "Ah ele tem a boquinha do pai" "poxa mãe valeu" haha, e logo vem a enfermeira com o meu pequeno todo meladinho ainda, sem chorar, quietinho, e coloca perto do meu rosto. Eu queria poder toca-lo, mas os meus braços estavam amarrados ainda, então dei um beijinho na testa dele, e pose pra foto:



O Ícaro nasceu ás 10:05 da manhã, tiraram ele de perto de mim para limpar, eu estava em pânico "ninguem vai me desamarrar?" calma Gabriella você ainda está toda aberta esse era meu pensamento, era nesses pensamentos que me faziam passar mal, mais tudo bem. 
Levaram meu filho pra dá banho, "MÃE CORRE ATRÁS, ELAS VÃO ROUBAR ELE", minha mãe saiu atrás delas e eu fiquei, nervosa mas estava sendo costurada, enquanto os meus médicos conversavam sobre mandar um para o outro vidas para jogos de facebook, acreditem.
Fui sai da sala ás 10:50, em uma maca direto pro quarto. Quando cheguei lá vi todo mundo, menos o meu filho "CADE O MEU FILHO? PELO AMOR DE DEUS" lá vem ele dentro de um bercinho com rodinhas haha, colocaram o berço do meu lado e eu passei horas olhando pra ele e pro pai dele, que felicidade que eu senti.

Primeira foto dele no quarto.

Passei o dia inteiro deitada naquela cama, até que ás 7hrs da noite me trouxeram uma enfermeira "do mal" que com todo "cuidado" arranca o curativo da minha cirurgia pra poder limpar, eu gritava de dor e ela simplesmente me chamava de mole, qualquer dia desses eu ainda volto lá pra poder arranhar a cara dela rs...  Em seguida ela levanta minha cama com toda rapidez, me deixando espremida e com muita dor, me fez levantar rápido onde eu não consegui me segurar, minha vista escureceu e eu não consegui segurar o meu corpo. Minha mãe e meu marido me levou pra dentro do banheiro pra tomar banho, foi um verdadeiro show de humor, eu não conseguia se quer ir pra debaixo do chuveiro, andar era um desafio. Tomei o meu banho, me arrumei e fui dá uma volta nos corredores do hospital, eu era forte e ia conseguir. Recebi uma papa de aveia (ate que tava gostosa) e um copinho de suco haha.


No dia seguinte recebi alta, vamos pra casa?




Dois corações em um só corpo

Depois da primeira ultrassom minha ficha caiu mais um tiquinho, eu ainda não estava acreditando, foi tudo muito rápido, ainda não estava totalmente preparada,"O QUE AS PESSOAS VÃO PENSAR?"... Esse era o meu pensamento, o que as pessoas iam falar de mim... Dito e feito, meu nome estava na boca de todo mundo. Sabe quando você acha que pode confiar em alguém e esse alguém te decepciona? Exatamente, contei a uma "AMIGA" e provavelmente ela saiu espalhando por ai, até porque não tinha como as pessoas imaginarem, eu não saia de casa, minha barriga não estava diferente e eu estava de FÉRIAS não ia a escola.  

Quando chegou no final de Fevereiro voltou ás aulas, eu passei pro turno da noite, não porque eu estava grávida, mas sim porque minha mãe estava estudando nesse turno também e eu poderia acompanhar ela.  Depois dessa mudança de horário pra estudar, as pessoas me julgaram bastante, falando que eu estava com vergonha da "BURRADA" que fiz e que eu era uma "IDIOTA". Colegas da escola mandando mensagens pra mim no facebook: " Ah, é que ta rolando um boato que você, hm..." Que eu to grávida, é estou sim" respondia, mas respondia com medo do que iam falar de mim, do que iam pensar, sabia que eu era a ATRAÇÃO PRINCIPAL da escola. 


4 meses de gestação
De casa pra escola, dá escola pra casa: Essa era minha vida , ate que um dia com 4 meses de gestação, descobri um site "ask.fm" onde as pessoas fazem perguntas e blá blá blá. Criei uma conta lá, e descobri várias meninas adolescentes grávidas, parecia que eu tinha encontrado meu lugar. Comecei a seguir todas elas, acompanhei cada resposta, eu via que não era a única que sofria preconceito, e me sentia bem em vê as meninas superando isso, respondendo cada pergunta como uma pergunta qualquer, as criticas em anônimos não atingia elas, foi ai que comecei a receber bastantes perguntas em anonimo, me xingando, e falando bastante coisas horríveis em relação ao meu filho, me senti mal, não consiga dormi, queria saber quem era que mandava aquelas coisas pra mim. Passei uns dias sem entrar no ask.fm, me senti melhor, passeava bastante na rua com meu namorado, estava começando a aceitar essa gravidez como uma coisa boa na minha vida. Na rua, no shopping, na praia sempre via mulheres com crianças, ficava me imaginando com o meu bebê naqueles lugares, via muito vídeo na internet, não podia vê uma criança que eu queria pega-la no colo. Aquele ask.fm só estava me prendendo, prendendo a FUTURA MÃE que tinha dentro de mim. 


Quando completei meus 5 meses de gestações no mesmo dia fui fazer uma ultrassom. "Vamos vê se é uma menininha ou um meninão?" disse a médica.
Eu já sabia que era um menino, não fiquei muito chocada, eu já sabia!!!!!!! O pai do Ícaro ficou sem reação, acho que toda a felicidade dele estava trancada dentro dele, minha mãe só sabia falar 'nenemzinho, pitoquinha da vovó" kkkkkkkk, é!



6 meses
Quando cheguei em casa e me deitei na cama, senti o primeiro chute (E QUE CHUTE), ele se mexia muito, fiquei muito nervosa, mas também muito feliz, passava horas e horas passando hidratante na barriga e conversando com ele. Foi ai que levantei a cabeça e prosseguir com a gravidez, sem ligar pra opinião dos outros e nem quem falava de mim. Afinal, eu tinha um bebê, uma família que me apoiava, e um namorado que não me abandonou, para a infelicidade do povo.

Quase todo dia eu estava fora de casa. Não parava em casa, eu sabia que depois que o bebê nascesse eu não ia poder tá saindo muito com ele, então aproveitei bastante na gravidez. Superei bastante o preconceito, postava bastante fotos gravidas e comecei uma amizade com algumas meninas do ask.fm, criei até um ask para responder perguntas das meninas que engravidaram e estavam sofrendo preconceito, o nome era: Mamães de salto alto!

Com uns 7 meses, tive um desejo muito nojento por sinal... Minha mãe estava cortando fígado para assar, eu estava com muita aguá na boca em vê aquele sangue, aquela carne crua, aquele cheiro, me deu uma vontade GRANDONA de comer um pedaço. Esperei minha mãe sai da cozinha peguei uma fatia, e meti na boca. Nossa, estava tão gostoso, não sei explicar... Resumindo: Vomitei tudo depois. 


7 meses

Os meses foram passando, estava indo para o pré natal todo mês, até que quando completei os meus 8 meses, fui ao médico para uma consulta normal, ele me pediu uma ultrassom.
"sua placenta já está madura, esteja aqui no dia 29/Agosto ás 7:00 em jejum, vamos fazer essa cirurgia antes que você entre em trabalho de parto" disse o médico. Fiquei em choque, mas tão rápido assim? 


Continua no próximo post: "Relato de parto", aguardem...



A descoberta

"Descoberta da gravidez"


Janeiro: Parece que eu já sabia, não tive TPM, não senti cólicas, muito estranho... Dia 07 no sábado (que era o dia certo de vim) eu já acordei assustada, eu sabia que não ia vim, contei a minha mãe e ela só disse: "calma, o dia só tá começando", querendo ela não colocar fé nessa possibilidade, mas mesmo assim não fiquei quieta, liguei pro meu namorado e ele foi me buscar para almoçar com a família dele. Chegando lá, contei a minha sogra sobre minha intuição, na mesma hora ela me levou em um laboratório, tirei sangue e a enfermeira mandou eu ir buscar na segunda pois no Domingo eles não funcionam. 

Passei o final de semana inteiro na expectativa, não sabia se estava feliz ou triste, liguei pra minha mãe e ela simplesmente falou super normal, pensei que ia ficar chocada por saber que as chances eram grandes de verdade, depois que eu cheguei ao ponto de ir fazer um teste. 

Na segunda feira minha sogra foi bem cedinho pegar o resultado, eu já estava com o coração na mão de tanta ansiedade, quando ela ligou pra mim eu estava dormindo, mandou eu ir pro laboratório pois eles queriam que eu tirasse sangue de novo, pois como eu era de menor precisavam ter CERTEZA do resultado. Desci a ladeira correndo ás 8hrs da manhã, não iria aguentar esperar mais um dia. Fui, tirei sangue e voltei pra casa, mais um dia de ansiedade sem fim... Não consegui dormi na madrugada.

As 10hrs da manhã da terça feira meu namorado chega lá em casa com o exames nas mãos, meu coração gelou, estava louca pra saber o resultado, mas a minha mãe pegou das mãos dele, me olhou nos olhos e disse: "independente do resultado, vou estar sempre aqui, apesar que tudo vai mudar, nada vai ser o mesmo". Minha mãe abriu o exame e na mesma hora começou a chorar, já imaginei, só de olhar minha mãe chorar por um deslize meu, meu coração doía, eu não conseguia chorar, eu não conseguia ter reação nenhuma, pra mim aquilo não era nada, eu não imaginava o que estava acontecendo, achei que a criança não ia nascer nunca, que era só uma "fantasia", não sabia eu que as coisas iam mudar muito pra mim, que tudo ia ser diferente e um pouco difícil, mas isso ainda estava só começando... ainda naquele momento eu estava vidrada no meu namorado, e ele só de me olhar me passava confiança, eu sabia que ele não iria embora, não ia me deixar sozinha nessa, até porque era um sonho pra ele.


  Contamos para toda a família, no começo a família do meu namorado queria que a gente casasse super ao contrario né? Minha mãe não queria que eu casasse, sabia que eu era muito nova pra casar com ele, não sabiam se ia dá certo, eu não ia conseguir cuidar de casa, marido e filho sozinha. 


Providenciando tudo fui ao médico para vê o meu bebê pela primeira vez, foi ai que minha ficha caiu, quando vi o corpinho, a boquinha, a cabeça e uma parte dos membros se formando ainda, meu coração encheu de alegria e eu me emocionei muito, não dava pra acreditar que tinha um bebê dentro de mim, era incrível, uma felicidade que eu não sei contar detalhes...


Confira a continuação no próximo post: Minha gravidez.