Menu

Onde tudo começou...

Pra se construir uma família é necessário uma mãe e um pai haha (serio? hm), então vou contar a vocês como conheci o pai do Ícaro e como começou o meu conto de fadas...
Em junho de 2010 eu conheci o pai do Ícaro, o conheci através de uns amigos, conversava com ele pelo MSN e pelo ORKUT mas não dava muita bola pra ele... 

Até que um dia eu vi ele pessoalmente, ele foi na minha escola e foi "amor a primeira vista" hahaha, ele era lindo (ainda é), mas tinha uma cara de quem não prestava muito (namorador), mas mesmo assim me deixei levar pela beleza e pelas minhas amigas e resolvi dá uns beijinhos nele (haha)... ele morava um pouco longe de mim, então a gente conversava muito pela internet. Depois de uns 2 meses ele veio morar com a avó, aqui no meu bairro, pra minha felicidade hehe. 

Em novembro/4 a gente começou a "namorar" (só a minha mãe sabia), pra mim era um namoro, a gente se via todo dia, se falava toda hora e etc...  Em Dezembro/24 ele veio com uns amigos na minha casa para pedir a minha mãe para namorar comigo, sendo que minha mãe já sabia do nosso rolo, mas a gente queria namorar em casa, com todos sabendo... Minha mãe mandou dá um tempinho pois eu tinha reprovado na escola e era um "castigo" haha, mas mesmo assim a gente ainda se via e etc... Em junho de 2011 a gente começou a namorar em casa!

Nossa primeira foto, péssima qualidade (2011)


Ele era muito diferente de mim, funkeiro, gostava de sair com os amigos e etc... Já eu, era ROCKEIRA e vivia em um mundo só meu, praticamente eu era a estranha da escola, todos me olhavam torto, e eu adorava sei lá, estava sendo eu, não gostava de festas e amigos, mas como os opostos se atraem apesar de tudo isso nos dávamos muito bem, eramos um casal que saia muito de casa, íamos a shopping, cinema, praia... mesmo se não tivéssemos dinheiro, a gente ia nem que fosse só com a passagem e um trocado para a água, não sou dessas de "Ah não tenho dinheiro, não vou", eu só queria sair de casa e curti ele.

Um casal de retardados como falei (ate hoje) 2011
No supermercado kkkkk


Ele sempre se deu bem com minha família ate viajou no Natal de 2011 com a gente para casa de um parente meu, sem saber nós que eu já estava gravida.

Natal de 2011 (já gravida, sem conhecimento disso)


 Em Janeiro dia 10 eu descobri uma gravidez, onde chocou todos da família, ele super ficou calado, mas eu via nos olhos dele que estava pulando de alegria, pois era o que ele sempre quis: SER PAI! Apesar que estava cedo de mais. Eu não fiquei muito assustada, pra mim era normal, eu ia ser mãe, Deus me presenteou, mas não vinha na minha cabeça o quanto isso ia ser difícil...

Continua na próxima postagem: Descoberta da Gravidez





Eu acredito...


Sabendo que o nome do blog não tem nada haver com essa postagem, mas como é um fato da minha vida hoje, vou escrever pra dividir com vocês um pouco da minha realidade.Como muitos sabem eu quero me forma em fotografia, se possível haha, mas ai você fala: ''Compra uma câmera boa e divulga seu trabalho'' como se fosse fácil... Pra começar eu sou menor de idade, os cursos de Recife são para maiores de 18 anos, vamos esperar mais 1 ano... Segundo, DINHEIRO, eu não trabalho, porque  tenho um bebe e não tenho com quem deixa-lo. Por conta disso todo dinheiro que eu pego é de prioridade dele: FILHO EM PRIMEIRO LUGAR. Equipamentos e cursos dá uma grana alta,mas eu espero e confio em Deus essa parte financeira deixo nas mãos dele.

Meu pequeno Ícaro (foto da minha autoria)

    Participo de um grupo de fotografia o fotografe por amor, é lá onde eu recebo dicas e criticas onde me incentiva a prosseguir lutando pelo meu sonho. É na verdade minha segunda família!
   Como não sou de ficar parada esperando um milagre, acreditei no meu dom, pessoas acreditaram no meu dom e me fez criar coragem para fazer uma promoção no facebook de mínis ensaios, para levantar uma grana para investir no meu futuro, deixando bem claro NÃO SOU PROFISSIONAL e ''trabalho'' com uma COMPACTA, deixei algumas fotos da minha autoria para as pessoas ter uma noção do que eu sou capaz de fazer, deixando SEMPRE a pessoa ciente que foi com uma compacta. E olha deu certo, não consegui muitos ensaios mas pra quem trabalha sem curso, equipamentos, diploma estou muito bem. 



Não vou desistir, só porque não é fácil não significa que eu não consigo, seria muito chato se tudo que eu quisesse tivesse fácil, não ia ter aventuras nem uma historia legal. Muita gente não acredita em mim, diz que é fogo de palha mas quando eu tiver rica e famosa vão querer ser minhas amigas hahahaha.
    
Ontem fiz um ensaio gestante, fiz com muito amor e dedicação pq quando se tem tudo isso a câmera é a ultima coisa que importa. Essa foi uma das fotos de ontem, gostaram? ♥


Sinoveide Cavalcante esperando a pequena Nicoly



Mais alguns ensaios que fiz, vamos conferir?

Aline e Leandro (ensaio pré noivos)

Laura Beatriz (11 anos)


Camila Lima (ensaio pessoal)





Mais fotos na minha pagina do facebook: Gabriella Fotografia... Se você é de Recife, venha aproveitar a promoção:








Sou mãe = Adolescente

Resolvi tocar num assunto bem polêmico sobre "Ser mãe, na Adolescência" (que é o meu caso). Eu fui mãe aos 15 anos, estava na sétima serie do colegial, eu tinha um namoro de apenas 1 ano quando engravidei, sempre pensava nas piores coisas do mundo, achei que iria ficar sozinha, coisas que a sociedade impõem para qualquer garota adolescente que engravida. Ser mãe na adolescência é mesmo difícil, na verdade eu só vi realmente como seria difícil ser mãe e cuidar de um bebê, depois que o Ícaro nasceu, ter um filho era um dos meus sonhos, mas isso ia demorar bastante nos meus planos, depois de casada, formada e etc... A pior parte de ser mãe pra mim foi ter que enfrentar a sociedade, meu nome estava na boca de todo mundo: como se eu estiver com uma doença contagiosa! Ser mãe foi um acontecimento que me deixou muito assustada no começo, mas que tomou conta da minha vida.
É não foi fácil quando eu descobri.
 - "Deu positivo" ... Minha mãe estava lendo o meu exame de gravidez na minha frente e do meu namorado, ela chorou bastante e cada lágrima dela que caia era uma pontada no meu coração de decepção de mim mesma, não sabia se eu estava feliz, triste ou decepcionada, não sabia se ter um filho era uma boa escolha, mas mulher que é mulher assume o que faz , independente de idade. No começo foi difícil, além de ser julgada pelas pessoas de fora você tem que lhe dar com seus medos internos, me deu medo, não por mim, mas pela criança, afinal que estrutura uma adolescente de 14 anos tem pra ter um bebê? era o que eu pensava. Mas pensei: "Que sorte a minha, fui escolhida pra ser mãe. Deus me escolheu, confiou em mim uma vida, me deu o dom da criação" então fiquei feliz pois sabia que conseguiria. Passei os meus 9 meses tranquilos, não senti dor, enjoos e etc... Só sono que não é novidade! Ia pra escola todos os dias com a barriga crescendo cada dia mais, os olhares tortos já não me incomodavam... Toda vez que notava que alguém fofocava de mim na rua eu fazia questão de parar e ficar alisando meu lindo barrigão ♥  Pra decepção do povo meu namorado sempre do meu lado, na rua, em casa, na escola e etc...




Finalmente o dia mais esperado, o nascimento!!!!! Dia 29/08/2012, ás 10:05 da manhã, meu parto foi cesárea e a unica coisa que eu fazia era ficar quieta, pensando e com medo, minha mãe estava comigo o tempo todo na sala de parto, pro meu alívio pois eu tinha a sensação de que iam trocar o meu filho pelo o de outra pessoa, kakakakakaka...  O parto, esse momento tão esperado, mas às vezes tão temido, tinha acabado, e o meu pequeno príncipe já estava entre nós! Foi tão bom ouvir o chorinho dele, vê cada pedacinho dele e poder ter o primeiro contato com o meu filho, todo meladinho ainda!
Minha família agora estava completa, eu estava aliviada... CONSEGUI!

Ainda existe muito preconceito na rua, escuto muito frases do tipo: "Uma criança cuidando de outra", "Nossa, seu irmão?", Cadê a mãe do Ícaro?", "Tão novinha, não sabe nem cuidar de si própria" entre outras, que hoje pra mim são piadas e das boas... Meu filho não foi trocado na maternidade (graças a Deus)... Hoje passeio na rua com o meu filho com o maior orgulho, adoro vê a cara de espanto das pessoas quando eu digo "É MEU FILHO", como se fosse crime. Talvez eu não tenha idade, tamanho, nem aparência de ser mãe, mas eu tenho amor e isso cumpri todo o resto. Idade nunca foi sinal de maturidade.
As pessoas sempre me falavam que eu estava destruindo minha vida... Agora eu sei porque nunca gostei de ouvir... As pessoas falam demais, criticam demais. Por isso temos sempre duas opções: reclamar ou simplesmente ser feliz. E eu escolhi SER FELIZ!

E tudo valeu a pena... "Enfrentar cada barreira, cada olhar crítico, cada língua que só tem veneno, só me faz mais forte a cada dia, e ao lado do meu filho eu sei que consigo enfrentar tudo de cabeça erguida".